Saltar os Menus

Centenário do nascimento de Vergílio Ferreira

Vergílio Ferreira nasceu em Melo, Gouveia, a 28 de janeiro de 1916, e morreu em Lisboa a 1 de março de 1996.

PT-TT-SNI-ARQF-DO-002-007-000001_m0001

Veja os documentos…

PT-TT-SNI-DSC-19-81_m0002

PT-TT-SNI-DSC-29-18_m0002

PT-TT-SNI-DSC-29-33_m0002 PT-TT-SNI-DSC-29-33_m0001
PT-TT-SNI-DSC-29-33_m0003 PT-TT-SNI-DSC-29-33_m0004

 

PT-TT-SNI-DSC-29-33_m0009 PT-TT-SNI-DSC-29-33_m0010

PT-TT-FLA-001-000001_m0001

 

Descubra mais na Torre do Tombo…

… e na Biblioteca da Torre do Tombo

Descubra mais na Web…

A neve – que virá a ser um dos elementos fundamentais do seu imaginário romanesco – é o pano de fundo da infância e adolescência passadas na zona da Serra da Estrela. Aos dez anos entra no seminário do Fundão, onde esteve seis anos – Manhã Submersa será a catarse dessa estada. Licenciou-se em Filologia Clássica em Coimbra (1940). Na sua vida de professor liceal há dois momentos fundamentais: a sua estada em Évora (1945-1958) – que entrará para o nosso imaginário através de Aparição – e a sua vinda para Lisboa (1959), onde ensinou no Liceu Camões até à sua reforma. 

Este é o texto de abertura do artigo dedicado a Vergílio Ferreira da Base de Dados de Autores Portugueses, da responsabilidade da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, que é a maior base de dados biobibliográficos de autores portugueses disponível online. Veja aqui. 

A Biblioteca Municipal Vergílio Ferreira, em Gouveia, apresenta e comemora o centenário do seu nascimento. Veja aqui.

No catálogo «As Mãos da Escrita», da Biblioteca Nacional de Portugal, podem consultar-se  alguns manuscritos e dactiloscritos de Vergílio Ferreira. Veja aqui.

Última Actualização: 1 de Fevereiro de 2016